Você sabe qual é a diferença entre ácidos AHA e BHA?

JUNTE-SE A MILHARES DE PESSOAS

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Descubra como funcionam os alfa-hidroxiácidos e os beta-hidroxiácidos e quais são as suas principais diferenças!

Se você é aficionado pelo mundo do skincare e gosta de cuidar da sua pele, os ácidos alfa-hidroxiácidos e os beta-hidroxiácidos são perfeitos para serem encaixados na sua rotina. Eles já se tornaram os produtos favoritos de quem se preocupa com a saúde da sua pele! Quer saber por quê?

Esses hidroxiácidos agem diretamente na renovação celular da pele, diminuindo cicatrizes formadas por acnes, reduzindo manchas, trazendo um brilho incrível para o rosto e uma hidratação potente!

Normalmente, eles são utilizados na etapa dedicada aos esfoliantes. Ao esfoliar a pele, promovemos a remoção das camadas mais superficiais quimicamente, retirando também as células mortas. Se você procura deixar sua pele uniforme, essa é uma boa opção.

Por isso, vamos te explicar como funcionam os ácidos AHA e BHA e quais são as principais diferenças entre eles. Saiba mais abaixo!

O que são os ácidos alfa-hidroxiácidos (AHA)?

Os alfa-hidroxiácidos (AHA) funcionam como controladores da oleosidade, esfoliando a pele sem ressecar. Além disso, uniformizam a textura da pele e minimizam os poros, o que auxilia a diminuir cicatrizes de acne e as linhas de expressão. São muito benefícios, não é mesmo?

Agora, caso você tenha se interessado por todas as coisas boas que o ácido oferece, é preciso tomar algumas precauções antes de começar a utilizá-lo. O ideal é inserir esse produto alternando os dias para que sua pele tenha o tempo ideal de descanso para se adaptar.

Quando os alfa-hidroxiácidos entram na sua rotina de cuidados, é importante que os três passos essenciais do skincare entrem em conjunto: limpar, hidratar e proteger.

Enquanto esse tratamento é feito, também é importante observar se o seu rosto está se adaptando ou se sua pele pode desenvolver qualquer tipo de sensibilidade.

O que são os ácidos beta-hidroxiácidos (BHA)?

Por outro lado, temos o beta-hidroxiácidos (BHA). Esse ácido atua nas camadas mais superficiais da nossa pele, auxiliando a remoção das células mortas com mais facilidade, além de diminuir os poros e as linhas de expressão, como os AHA.

Isso porque ele atua no interior dos poros, desobstruindo e esfoliando profundamente, retirando o excesso de sebo. Por ser um esfoliante potente, ele também trabalha com a renovação celular, devolvendo o viço que tanto amamos para a nossa pele!

A melhor parte de todos esses benefícios que o ácido beta-hidroxiácido tem é que ele também pode ser utilizado nas acnes corporais, além de combater a foliculite e  a queratose pilar — causada pela produção excessiva de queratina pela pele.

Quais são as principais diferenças entre os ácidos?

Já vimos que os dois ácidos são ótimos para a pele: promovem a hidratação, reduzem as rugas, auxiliam na produção de colágeno e diminuem as manchas, uniformizando o tom de pele. Ufa! Quanta coisa, né? No entanto, existem também diferenças entre eles que podem ser decisivas para o seu tratamento.

Os AHA são os mais indicados quando se trata de cuidar das peles normais, secas ou com manchas. Já o BHA são perfeitos para quem tem pele com rosácea, acnes e cravos. Isso porque, por terem ação anti-inflamatória e antibacteriana, eles se tornam mais adequados para esse tipo de problema.

Essa sua característica nos leva a outra diferença importante entre os dois: os AHAs são solúveis em água, enquanto os BHAs são solúveis em óleo — por isso eles combatem tão bem a oleosidade!

Ambos podem ser utilizados em cima da pele limpa, evitando ser aplicado nas pálpebras e na parte de baixo dos olhos. Considere utilizar somente uma a duas vezes na semana.

Entre os principais alfa-hidroxiácidos estão o ácido glicólico, o ácido láctico, o ácido mandélico e o ácido kójico. Quanto ao BHA, um bom exemplo é o ácido salicílico.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.